De cruzeiro pela Amazônia

Nós interagindo no deck enquanto o navio passava pelo Encontro das Águas (Foto: Varanda Publicidade & Live Marketing)

Nós interagindo no deck enquanto o navio passava pelo Encontro das Águas (Foto: Varanda Publicidade & Live Marketing)

Alguns meses depois e com a vida mais tranquila, decidi voltar ao blog! O Ando Pelo Mundo começou pra contar as minhas aventuras pela África, mas é tão amado que depois que voltei quis continuar escrevendo nele, só que a rotina maluca (e sem viagens, o mais importante) não deixou. Agora 2015 chegou e a veia viajante está super feliz: nos próximos seis meses, já tenho três viagens programadas (mesmo que bate e volta!) e tô pensando em mais uma, a oficial de férias.

Este post de hoje veio com uma reflexão: e quem disse que é preciso ir tão longe para conhecer algo totalmente novo? Nesta semana, tive uma experiência sensacional: viajar de cruzeiro pela Amazônia. Embarquei no Iberostar Grand Amazon, um navio-hotel maravilhoso que viaja pelos nossos rios do Amazonas. A viagem foi a convite da Coca-Cola Brasil, pois participei do Coca-Cola Open Up Boat Challenge, evento nos moldes da Startup Weekend voltado para negócios sociais. Uma experiência tão maravilhosa não podia ficar de fora do blog.

Com a Isa e Paulinha, da FAS, ainda em Parintins

Com a Isa e Paulinha, da FAS, ainda em Parintins (e esse é o meu cabelo novo e original, pra quem só me acompanha pelo blog. Adeus alisamento, tô uma nova Marina!)

O Iberostar Grand Amazon tem 73 cabines com varandas privadas com uma vista linda de rio, floresta e comunidades ribeirinhas. Sério, dá vontade de morar fazendo esse roteiro de tão lindo que é. Nós fomos de avião até Parintins (onde também participamos do Festival Folclórico mais lindo do país e vimos o Caprichoso ser merecidamente campeão!), e de lá, após assistir uma noite do festival, voltamos subindo o Rio Amazonas.

A primeira foto, no aeroporto, já mostra como é Parintins: com a rivalidade tão forte entre os bois azul e vermelho, todas as marcas mudam de cor na cidade (olha o anúncio do Bradesco ali!). Como a ostentação não tem limites, assistimos o festival no camarote da Coca-Cola. O lado bom é que dá pra morrer de dançar pelos dois bois, já que é um espaço neutro.

A primeira foto, no aeroporto, já mostra como é Parintins: com a rivalidade tão forte entre os bois azul e vermelho, todas as marcas mudam de cor na cidade (olha o anúncio do Bradesco ali!). Como a ostentação não tem limites, assistimos o festival no camarote da Coca-Cola. O lado bom é que dá pra morrer de dançar pelos dois bois, já que é um espaço neutro.

O trajeto que fizemos foi especial pois o barco estava fretado para a Coca-Cola. Normalmente, eles têm três opções de roteiros, todos saindo do Porto de Manaus: Rio Solimões-Amazonas (de três noites), Rio Negro (quatro noites), e uma opção de sete noites, que une as duas outras rotas. Entre as atividades estão: observação de aves e jacarés, visita aos botos cor de rosa, passeio pelo Encontro das Águas, e outras.

Outro ponto mega positivo é a comida. Meu Deus, quanta comida. Tudo gostoso, quentinho e servido por funcionários super atenciosos e educados. Para quem é turista, acho que fica faltando só a comida regional: não tem café da manhã com tapioca, tucumã ou pupunha. No lugar, é um café bem gringo: panqueca, bacon e ovos. Para mim que como tapioca todo dia de manhã, foi uma lindeza variar (mãe, não briga, só comi um pouquinho de bacon, mas bem pouquinho mesmo!).

Como eu já disse, fui a trabalho para participar do Boat Challenge. O objetivo do evento era desenvolver ideias de negócios que pudessem melhorar Manaus. Em uma feliz coincidência, meu projeto trabalhava justamente com turismo pela Amazônia – mas de uma maneira diferente, o turismo de base comunitária. Foi inspirador pensar em maneiras de trabalhar com as nossas riquezas tendo como escritório aquela vista do Rio Amazonas.

Acordei e essa era a vista da varanda. Como não amar?

Acordei e essa era a vista da varanda. Como não amar?

Definitivamente, o Iberostar Grand Amazon fica na lista das viagens que eu repetiria logo. Infelizmente, o valor é super alto – bem viagem para turista mesmo! Na cabine que fiquei, por exemplo, uma viagem de três noites por pessoa sai por R$ 6.210,00. Mega salgado. 😦 Para quem quer viver a experiência e conhecer a nossa região de uma maneira diferente, fica a dica, vale juntar as moedinhas e curtir o navio por uma temporada!

(PS: Dessa viagem, acabei saindo com sócios! O nosso projeto foi vencedor do desafio e estamos trabalhando para iniciar a startup, que será voltada a turismo. Em breve escrevo um post contando tudo sobre a nossa filha, batizada de Amazon Share!)

No Encontro das Águas, com a equipe da Amazon Share, que fez essa viagem ser mil vezes melhor!

No Encontro das Águas, com a equipe da Amazon Share, que fez essa viagem ser mil vezes melhor!

Anúncios

3 comentários sobre “De cruzeiro pela Amazônia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s